Declarado Morto por Cientistas, Cometa Ison dá Sinal de que Pode ter ‘Ressuscitado’!

O cometa Ison está se mostrando tão misterioso na volta do Sol quanto na ida. Depois de declará-lo morto, os cientistas voltaram atrás e agora dizem que pelo menos um pedaço dele sobreviveu.

A essa altura, já se pode descartar que ele vá produzir um espetáculo visual incrível para os observadores da Terra, como se esperava – o Ison estava sendo chamado de “cometa do século”. Mas só o fato de ele seguir existindo já intriga os cientistas.

Poucas horas antes de atingir o periélio (aproximação máxima do Sol), às 16h25 de anteontem, o cometa – objeto cujo núcleo é composto de gelo e pedra – começou a perder brilho rapidamente.

Montagem de fotos do satélite Soho, da Nasa, mostra o cometa Ison após sua aproximação máxima do Sol; parte do seu núcleo pode ter sobrevivido ao encontro solar

Montagem de fotos do satélite Soho, da Nasa, mostra o cometa Ison após sua aproximação máxima do Sol; parte do seu núcleo pode ter sobrevivido ao encontro solar

Esse comportamento é consistente com a fragmentação do núcleo. Se estivesse em um pedaço só, seu brilho deveria ter aumentado.

A tese foi reforçada quando o SDO (Solar Dynamics Observatory), satélite da Nasa, foi apontado para observar a passagem do Ison e não registrou nada pelo caminho.

Então foi surpreendente quando imagens do Soho (outro satélite solar, mantido em parceria entre a ESA, agência espacial europeia, e a Nasa) revelaram, na madrugada de ontem, que o Ison teria reemergido do outro lado do Sol.

De início, os cientistas interpretaram a imagem como uma trilha de poeira e gás deixada pelos restos do cometa, mas, quando o objeto foi aumentando de brilho, eles tiveram de ceder. À 0h49 de ontem, Karl Battams, coordenador da campanha de observação da Nasa, afirmou: “Acreditamos que parte do núcleo do Ison tenha sobrevivido ao periélio.”

CONFUSÃO

Enquanto o Ison se prepara para sair do campo de visão do satélite Soho e se afastar do Sol, os cientistas terão tempo de analisar os dados e concluir o que houve.

Segundo Ignacio Ferrín, especialista em cometas da Universidade de Antioquia, na Colômbia, o núcleo do Ison teria de fato se desintegrado, antes mesmo da aproximação máxima do Sol.

Usando imagens de um dos satélites Stereo, que monitoram o Sol, ele calculou o período de rotação do cometa pouco antes de sua passagem a 1,2 milhão de km do Sol.

Ferrín concluiu que o cometa dava uma volta em torno de si mesmo a cada 2,38 horas. Segundo outros estudos, o limite de estabilidade da rotação de um objeto desse tipo seria de, no mínimo, 3,3 horas. “Portanto, o cometa excedeu o limite de estabilidade rotacional, e a razão da fragmentação foi ‘quebra rotacional'”, diz Ferrín.

Contudo, caso essa conclusão se mostre equivocada, não será a primeira do cientista colombiano sobre o Ison. Ele também previu que o cometa iria “murchar” bem antes de atingir o periélio, o que não aconteceu.

Os cientistas da Nasa agora estão cautelosos. Não dizem nem se o que restou do Ison terá longevidade, nem se será visível da Terra.

Observações telescópicas a partir do solo devem ser possíveis lá para o dia 5 de dezembro. Pelo menos até então, teremos de aguardar o desfecho dessa eletrizante aventura científica.

Fonte: Folha de São Paulo

Anúncios

Fragmentos do Cometa Ison Podem Atingir a Terra!

Fragmentos do cometa Ison podem atingir a Terra

29/11/2013 – Em breve, o cometa Ison, destruído após sua passagem perto do Sol, permitirá aos habitantes da Terra observar a passagem de meteoros brilhantes e até mesmo uma chuva de meteoros, informou o porta-voz do Observatório Pulkovo, Serguei Smirnov.

De acordo com ele, a passagem da Terra através da nuvem formada pelos restos do cometa e o aumento da atividade meteórica irão coincidir com um desfile de planetas muito raro, quando Mercúrio, Vênus, Terra, Júpiter e Plutão estarão alinhados.

Cientistas já tinham afirmado que o Cometa Ison poderia causar uma imensa chuva de meteoros na Terra e Mega Terremotos e Tsnunamis, veja aqui neste link e nesse outro.

O cometa Ison foi descoberto há um ano por dois astrônomos, o russo Artem Novichonok e seu colega da Bielorrússia Vitali Nevsky. O corpo celeste deverá ser o mais brilhante deste século.

 

Triplicou! Ao menos 35 VULCÕES estão agora em erupção pelo mundo. O que está acontecendo?

Existem agora, ao menos, 35 vulcões em erupção em todo o mundo como compartilhado nesta história do International Business Times e no gráfico abaixo, que mostra a maioria das erupções vulcânicas que ocorrem dentro do “Anel de Fogo”. Será que é por causa da aproximação do Cometa ISON ou nada tem a ver com todas essas mudanças na Terra? De chover pedras na Sicília à novas ilhas que se formam, no Japão, a nossa Terra está passando por mudanças incríveis.

O vulcão do Monte Sinabung em Jacarta, na Indonésia , entrou em erupção seis vezes desde segunda-feira, atirando cinzas vulcânicas a 2.000 metros em direção ao céu.

Milhares de pessoas foram evacuadas da região desde que o vulcão Sinabung entrou em erupção de forma esporádica, em setembro, 5.000 pessoas foram evacuadas da área um dia antes da erupção da segunda-feira, elevando o número total de evacuados para 11.000. Não houve vítimas até o momento.

O Sinabung é apenas um dos 35 vulcões ativos em erupção atualmente no mundo, de acordo com uma lista categorizada no Volcano Discovery. Dos 35 vulcões em erupção atualmente no mundo, sete estão na Indonésia.

Poderia uma Única Pessoa Destruir Sozinha o Nosso planeta?

Nota do Blog: De acordo com uma matéria do site io9, apenas uma única pessoa, ou um pequeno grupo de terroristas (como sempre a desculpa do terrorismo), seria capaz de destruir nosso planeta. Cientistas então, estariam preocupados com tal possibilidade e sugerem, nada mais, nada menos, algo que nós, que estamos cientes do que rola nos bastidores do planeta, já sabemos que irá inevitavelmente acontecer, a saber, a redução populacional e o controle total dos cidadãos. E ao que tudo indica, dentro de pouco tempo! Leia a matéria abaixo!

Com os enormes avanços tecnológicos — especialmente nas áreas da inteligência artificial, nano e biotecnologia — que estamos testemunhando nos últimos anos, você alguma vez parou para pensar se uma única pessoa, dotada dos conhecimentos e meios necessários, seria capaz de destruir o planeta sozinha? Segundo o pessoal do site io9, que conversou com alguns especialistas em segurança, essa possibilidade é bem real e não é tão remota como parece.

Os profissionais Philippe van Nedervelde —, especialista em defesa nuclear, biológica e química —, James Barrat — especialista em inteligência artificial — e Robert Freitas — especialista em nanotecnologia — acreditam que a possibilidade de que um grupo terrorista pequeno e até mesmo a de que um único indivíduo possa destruir a Terra não está sendo levada a sério o suficiente. Aliás, a maioria das pessoas nem sequer imagina que está correndo perigo.

Convergência de riscos

Fonte da imagem: Pixabay

Para os especialistas, algo parecido com uma “tempestade perfeita” está se formando, com vários fatores de risco convergindo para um único propósito. Entre eles estão perigos existenciais criados pelo próprio homem, assim como ameaças de origem cósmica.

Com respeito aos perigos de “fabricação” humana, os especialistas citaram como mais ameaçadores as pandemias provocadas por ataques biológicos, guerras termonucleares, o surgimento de uma inteligência artificial que subjugue os seres humanos e o desenvolvimento de armas de destruição em massa baseadas na nanotecnologia. Desses riscos, o da pandemia foi considerado como potencialmente preocupante.

Cenários catastróficos

Fonte da imagem: Shutterstock

Os especialistas acreditam que dentro de pouco tempo as pandemias provocadas por criminosos será um perigo real, e alguns ataques biológicos em pequena escala já demonstraram ao mundo o poder dessa “arma”. Além disso, pandemias naturais — como foi o caso da gripe espanhola em 1918 e que matou entre 50 e 100 milhões de pessoas, ou seja, entre 2,5 e 5% da população mundial — já deixaram bem clara a gravidade da questão.

O problema nesse sentido é que a tecnologia necessária para desenvolver agentes patogênicos eficientes e efetivos já existe, e os cientistas dispõem do conhecimento necessário para otimizar seu funcionamento ou para combiná-los de forma que sua ação seja potencializada. Portanto, é possível criar armas biológicas capazes de dizimar completamente a humanidade.

Fonte da imagem: Pixabay

Com respeito ao desenvolvimento de armas de destruição em massa baseadas na nanotecnologia, uma possibilidade mencionada foi a chamada “praga cinza”, ou seja, robôs de dimensões moleculares capazes de se autorreplicar e que consumiriam completamente todos os recursos naturais críticos para a sobrevivência humana. Esses dispositivos poderiam, por exemplo, ser lançados na atmosfera e bloquear o sol ou, ainda, destruir organismos vivos.

Por último, considerando o cenário relacionado com a inteligência artificial, os especialistas acreditam que ela poderia, dentro de poucas décadas, ultrapassar a inteligência humana, e um erro de programação poderia ser fatal. Conforme explicaram, poderíamos nos ver forçados a competir com um rival cujas habilidades sejam muito superiores às nossas, e em situações que nem sequer podemos imaginar.

Mais com menos

Fonte da imagem: Shutterstock

O perigo de tudo isso é que o desenvolvimento dessas tecnologias permitirá que se destrua muito mais com muito menos, e a convergência de todas elas só servirá para acelerar e exacerbar drasticamente o aumento do risco. Aliás, para conseguir destruir o planeta, um grupo determinado o suficiente só precisaria de recursos relativamente modestos e que dentro de pouco tempo estarão disponíveis para qualquer um.

Assustadoramente, essas tecnologias estão sendo desenvolvidas por agências governamentais e grandes corporações, e esse conhecimento pode, eventualmente, cair nas mãos erradas. Sendo assim, de acordo com os especialistas, mais do que temer catástrofes globais provocadas por grandes exércitos, devemos ficar atentos a pequenos grupos com as motivações erradas.

Os especialistas também apontaram que indivíduos sozinhos — que tenham o conhecimento suficiente e tenham desenvolvido um ódio violento contra a humanidade — têm o potencial de destruir cidades e regiões inteiras, e não descartam a possibilidade de que os mais motivados possam dizimar continentes e até mesmo o planeta. Por certo, esses possíveis “agentes solitários” tiram o sono dos especialistas em segurança.

Medidas preventivas

Fonte da imagem: Pixabay

É claro que quem quebra a cabeça pensando em possíveis cenários de destruição global também considera formas de evitar que tudo isso aconteça. Conforme explicaram os especialistas, por sorte, não estamos completamente desprotegidos contra os perigos, e precauções, ações preventivas, medidas de contra-ataque efetivas e identificação prematura dos riscos podem ajudar a reduzir o problema.

Uma das alternativas apresentadas seria o monitoramento psicológico de pessoas com comportamento — comprovadamente — anormal através de sistemas educacionais e outras instituições, com o objetivo de que esses indivíduos nunca cheguem a levar a cabo qualquer plano maligno.

Contra o ataque de armas criadas a partir da nanotecnologia, os especialistas sugerem o contra-ataque com “névoas” de nanorrobôs, radiação dirigida e o uso do eletromagnetismo. Por último, contra a ameaça apresentada pela inteligência artificial, o melhor seria criar uma organização global envolvendo a iniciativa pública e privada que estabeleça as diretrizes sobre o desenvolvimento e aplicação dessa tecnologia.

Estado vigilante

Fonte da imagem: Shutterstock

Uma alternativa mais radical seria a criação de um estado de constante vigilância, realizada através da própria população e de sistemas microeletromecânicos inteligentes. Esses sistemas consistiriam em robôs, sensores e outros dispositivos diminutos capazes de detectar a presença de substâncias químicas, magnetismo, temperatura e luz, por exemplo, e que no futuro poderão ficar em suspensão no ar como se fossem simples partículas.

Além disso, essa “poeira” espiã permitiria que a população global dispusesse de olhos e ouvidos em todas as partes, e o melhor é que a vigilância não seria feita por operários humanos — corruptíveis e problemáticos —, mas por máquinas. Com isso, obviamente a privacidade absoluta deixaria de existir, e apenas teríamos direito uma privacidade relativa.

Por outro lado, o controle constante resultaria em uma dramática queda em crimes, violência e todo tipo de abusos, seja contra crianças, mulheres ou idosos. O mesmo aconteceria com a corrupção e outros tipos de delito, e se instauraria uma sociedade ética e totalmente transparente.

Fonte: io9 Megacurioso

Novo “Jogo” Maligno chamado Nocaute se Espalha pelos EUA!

ATENÇÃO: VÍDEOS COM CENAS DE VIOLÊNCIA, NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS OU PESSOAS SENSÍVEIS!

Moradores de grandes cidades dos Estados Unidos – como San Diego, Chicago, Saint Louis e Nova York – estão assustados com uma nova “brincadeira” maligna que virou fenômeno entre os jovens dessas metrópoles.

É o chamado “jogo do nocaute”: adolescentes que batem, gratuitamente, em pedestres distraídos a troco de nada. Flagrantes desses ataques estão se espalhando nas redes sociais e impressionam pela violência. Em resposta à ação dos agressores, a polícia norte-americana já está em atenção e preparada para efetuar prisões. As informações são da rede ABC News.

Uma das vítimas, o professor Jim Addlespurger, contou à emissora que estava voltando para casa, no início deste mês, quando passou por um grupo de adolescentes. Distraído, ele sequer teve reação quando um dos jovens deu-lhe um soco no rosto, que o derrubou no asfalto. “É uma coisa horrível de ver. Eu estou feliz em estar aqui, vivo, para falar sobre isso”, contou ele à ABC. “Essas crianças estão agindo sem pensar nas consequências”.

O “jogo do nocaute” já está se espalhando pelo mundo, há casos registrados também na Inglaterra.

Duas mortes relacionadas ao crime estão sendo investigadas, em Syracuse (NY). Neste Estado, já foram registrados outros 5 ataques denunciados por vítimas. Há registros de ataques também em San Diego, Chicago e Saint Louis.

  

  

Em um vídeo, feito em Nova Jersey, uma jovem aparece andando na rua quando é agredida pelas costas por um garoto, que sai sorrindo após o ataque. A menina acaba caída no chão, sem qualquer reação.

“Ao que parece, esses são apenas atos randômicos de violência”, disse o ex- agente do FBI, Clint Van Zandt, à ABC. “Não há roubo, não há nenhum razão. É, simplesmente, uma decisão de jovens de atacar alguém por pura maldade, às vezes, por uma aposta”.

O estudante Marvel Weaver, de 17 anos, que praticou o “jogo do nocaute”, em Nova York foi preso e está na cadeia. Lá, um outro homem também foi preso e acusado de crime de ódio, pois a polícia acredita que ele escolheu como alvo um judeu.

Agora, uma vez que os vídeos dos ataques estão caindo no YouTube, a polícia norte-americana teme que os ataques tomem um proporção ainda maior.

Fontes: Today News ABC

10 Vulcões em Erupção Ativa e a Mídia Nada diz a Respeito!

1- Monte Sinabung, na Indonésia: erupção por oito vezes em apenas algumas horas, “chuva de pedras” sobre uma grande área forçou milhares de pessoas a fugir de suas casas. Ele está em erupção de forma intermitente desde setembro, mas entrou na ultrapassagem na tarde de sábado e manhã de domingo, atirando repetidamente cinzas quentes vermelho e rochas até oito quilômetros no ar.

2 -Vulcão Colima, no México: Na noite de segunda-feira e terça-feira manhã, o vulcão de Colima expeliu lava para baixo suas encostas e cinzas para o céu, atingindo várias aldeias. Desde domingo passado, o Fuego de Colima foi reativado após várias semanas de calma aparente até terça-feira foi gravado entre 30 e 35 jatos por dia, cuspindo lava para baixo suas encostas e cinzas atingindo vários povoados.

3- Sakurajima no Japão: Após uma breve fase de atividade mais fraca, o vulcão se tornou mais violento com uma série de explosões poderosas enviou nuvens de cinzas até 4.5 km. Emissões de cinzas quase constante têm sido realizadas desde a cratera.

4- Fuego, na Guatemala: Dois fluxos de lava são ativos nas encostas superiores do vulcão, no momento, o Taniluya (sul) e Ash Canyon (SE). A atividade efusiva começou em 11 de novembro e 18 de Novembro aumentou, atingindo um comprimento de 600 mts. Avalanches constantes emergir das frentes de fluxo. Ao mesmo tempo, a atividade explosiva na cratera manteve-se em níveis baixos a moderados, com explosões estrombolianas produzindo colunas de cinzas até 800 mts. altos e incandescentes jatos visíveis à distância.

5- Santa Maria / Santiaguito em Guatemala: uma nuvem de cinzas finas de 3,2 km de altitude (700 m . acima do domo de lava).

6- Yaser em Vanuatu: o vulcão continua a produzir emissões de cinzas quase contínuas, enquanto explosões são relativamente fracas. Esta fase de emissões de cinzas começou em 3 de novembro e é provável que continue nos próximos dias e semanas. 

7- Popocatepetl, no México: vulcão Popocatepetl parecia neve durante toda a manhã e ao meio-dia, a partir da cidade de Puebla, foram observadas colunas geradas por exalações de média intensidade.

8- Monte Marapi na Indonésia: vulcão mais ativo da Indonésia, entrou em erupção no início segunda-feira, enviando uma nuvem de cinzas negras cerca de 2.000 metros de altura, disseram autoridades.

9- Kliuchevskoi em Kamchatka, na Rússia: Uma boa parte da ação foi capturada pelas câmeras apontando para o vulcão ou satélite. 

10 – Vulcão submarino Japão – Tóquio Guarda Costeira do Japão verificou o nascimento da ilha ao redor do arquipélago de Ogasawara

Fonte: Painel Global

Via: Libertar

Noticiário Assustador em 3D – Tornando a Guerra “Divertida”!

Telejornal assustador a 3D

O canal de televisão RT (Russian Today), apresentou um telejornal original e ao mesmo tempo assustador. Durante o noticiário, o narrador ‘enfrenta’ explosões, aviões e tanques de guerra, tudo graças ao formato 3D.

Imagine estar sentado no seu sofá, assistindo o noticiário, quando, de repente, tanques e aviões de guerra parecem começar a sair do ecrã na sua direção.
Veja um trecho do telejornal no vídeo abaixo.